Perguntas Parlamentares
PDF 47kWORD 10k
15 de Setembro de 2020
O-000056/2020
Pergunta com pedido de resposta oral O-000056/2020
à Comissão
Artigo 136.º do Regimento
Christine Anderson, Jaak Madison, Harald Vilimsky, Laura Huhtasaari, Nicolaus Fest, Joachim Kuhs, Lars Patrick Berg, Markus Buchheit, Jörg Meuthen, Maximilian Krah, Gunnar Beck, Bernhard Zimniok, Guido Reil, Sylvia Limmer
em nome do Grupo ID
 Assunto: Situação atual e futuro do apoio financeiro dado à Euronews

Entre 2014 e 2018 a Euronews recebeu da Comissão um total de 122 milhões de euros, o que equivale a uma média de 24,4 milhões de euros por ano. Tal significa que um terço deste canal privado é financiado por verbas da UE, apesar de a maioria dos cidadãos da União não poderem, pelo menos, captar este canal de televisão. Esta informação foi dada numa resposta a um pedido dirigido à Direção-Geral dos Serviços de Estudos do Parlamento Europeu (EPRS).

Ora este dado leva-nos a colocar questões sobre os antecedentes da Euronews, e inclusivamente também em relação ao facto de estar ainda em aberto a continuação do financiamento deste canal pela Comissão, bem como a refletir sobre se tal financiamento deve ou não prosseguir.

1. As verbas recebidas pela Euronews da UE foram alguma vez oferecidas a outros canais de notícias?

2. Quais foram os critérios em que se baseou a celebração do contrato com a Euronews?

3. Em que medida considera a Comissão que a concorrência leal está a ser salvaguardada se a Euronews – no entender de um representante do canal – não parecer ser viável sem financiamento da União?

4. Que avaliação faz a Comissão do facto de a Euronews produzir também conteúdos pagos (contribuições patrocinadas, reconhecíveis em cada um dos casos por uma menção inserida no início e no fim da contribuição) e realizou a UE alguma auditoria para verificar se estes anúncios remunerados não estão a ser traduzidos para línguas da UE utilizando as verbas da própria União?

5. Que avaliação faz a Comissão da abertura pela Euronews de escritórios em Bruxelas, Cairo, Doa, Londres, Paris, Kiev, Istambul, Dubai, Washington e Pequim, sendo que apenas dois destes dez escritórios estão localizados numa capital da UE?

6. Em que medida é necessário continuar a promover a Euronews com verbas da UE quando, passados vários anos depois da sua criação, o canal ainda não conseguiu obter qualquer quota de mercado relevante e os membros fundadores do canal (a União Europeia de Radiodifusão) podem ter vendido as suas ações devido à falta de sucesso do canal, razão pela qual 88 % do capital da Euronews é atualmente detido por uma holding financeira não europeia ligada ao empresário egípcio Naguib Sawiris?

Apresentação: 15/09/2020

Prazo: 16/12/2020

Língua original da pergunta: EN
Última actualização: 16 de Setembro de 2020Aviso legal - Política de privacidade