Index 
 Anterior 
 Seguinte 
 Texto integral 
Ata
Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009 - Bruxelas

5. Liberdade de informação em Itália (debate)
Relato integral

Declaração da Comissão: Liberdade de informação em Itália

Viviane Reding (Comissária) faz a declaração.

Intervenções de Joseph Daul, em nome do Grupo PPE, David-Maria Sassoli, em nome do Grupo S-D, que responde igualmente à pergunta sobre o “cartão azul” de Mário David, Guy Verhofstadt, em nome do Grupo ALDE, Cristiana Muscardini sobre o desenrolar do debate, Judith Sargentini, em nome do Grupo Verts/ALE, Ryszard Czarnecki, em nome do Grupo ECR, Patrick Le Hyaric, em nome do Grupo GUE/NGL, Francesco Enrico Speroni, em nome do Grupo EFD, Hans-Peter Martin (Não-inscritos), Mario Mauro, que responde igualmente à pergunta sobre o “cartão azul” de Martin Schulz, Claude Moraes, Sonia Alfano, Indrek Tarand, que responde igualmente à pergunta sobre o “cartão azul” de Potito Salatto, Oreste Rossi, Frank Vanhecke, Manfred Weber e Juan Fernando López Aguilar.

PRESIDÊNCIA: Roberta ANGELILLI
Vice-Presidente

Intervenções de Gianni Vattimo, Mario Borghezio, Carlo Casini, Gianluca Susta, Sylvie Goulard, Fiorello Provera, Simon Busuttil, Maria Badia i Cutchet, Sarah Ludford, Salvatore Iacolino, Rita Borsellino, Sophia in 't Veld, János Áder, Debora Serracchiani, Clemente Mastella, Anni Podimata, Alfredo Pallone, Cătălin Sorin Ivan e Elisabetta Gardini.

Intervenções, segundo o procedimento "catch the eye", de Licia Ronzulli, Victor Boştinaru, Cecilia Wikström, Sergio Paolo Francesco Silvestris, Mary Honeyball, David Casa e Stanimir Ilchev.

Intervenção de Viviane Reding.

Intervenção de Martin Schulz, em primeiro lugar, para lamentar o nível sonoro que reinava no hemiciclo durante a intervenção da Comissária e, em seguida, para solicitar que a Mesa estude uma forma de pôr termo a este tipo de situação e, por fim, para um assunto de natureza pessoal na sequência da intervenção de Manfred Weber.

Intervenção de Joseph Daul, para assinalar que Angelika Niebler foi vítima de uma agressão nocturna nas redondezas do Parlamento em 18 de Setembro último e que, hora e meia depois de ter sido alertada, a polícia ainda não tinha chegado. Solicita que o Presidente do Parlamento intervenha junto das autoridades competentes da cidade de Bruxelas.

As propostas de resolução a apresentar nos termos do n.º 2 do artigo 110.º do Regimento serão anunciadas posteriormente.

O debate é dado por encerrado.

Votação: próximo período de sessões.

Aviso legal - Política de privacidade