Please fill this field
Cláudia MONTEIRO DE AGUIAR Cláudia MONTEIRO DE AGUIAR
Cláudia MONTEIRO DE AGUIAR

Group of the European People's Party (Christian Democrats)

Member

Portugal - Partido Social Democrata (Portugal)

Date of birth : , Funchal

Home Cláudia MONTEIRO DE AGUIAR

Member

TRAN
Committee on Transport and Tourism
D-ZA
Delegation for relations with South Africa

Substitute

D-CA
Delegation for relations with Canada

Most recent activities

Shaping digital education policy (A9-0042/2021 - Victor Negrescu) PT

25-03-2021
Written explanations of vote

. – Existe uma necessidade urgente, agravada pela crise da COVID 19, de colmatar o fosso digital, nomeadamente através da conclusão do Espaço Europeu da Educação e da execução do plano de ação para a educação digital, a fim de cumprir os objetivos em matéria de competências digitais, promover a aprendizagem inclusiva e intensificar a transformação digital na Europa.
Defendo ser fundamental assegurar um financiamento suficiente e sinergias entre os programas da UE, com vista a criar condições propícias a acelerar a aceitação pelo mercado de tecnologias e permitir que a economia e o setor público da Europa estejam na vanguarda da transição digital.
Entendo ser importante incentivar os Estados-Membros a aumentarem significativamente a despesa pública com a educação, em reconhecimento do papel fundamental que a educação desempenha no reforço do crescimento, na criação de emprego e no aumento da resiliência económica e social. Destaco que, pelo menos 20 % dos fundos a disponibilizar ao abrigo do Mecanismo de Recuperação e Resiliência (RRF), foram afetados à transição digital e insta os Estados-Membros a utilizarem os fundos ao abrigo do Mecanismo para reforçar a capacidade digital dos sistemas de ensino e investir, por exemplo, em infraestruturas digitais para as escolas, os alunos e os grupos vulneráveis, em particular nas zonas afetadas pela exclusão.
Alerto para a continuidade da existência das desigualdades no acesso às ferramentas informáticas e à Internet e que, numerosas regiões, em particular as zonas rurais, e as regiões desfavorecidas, padecem de fraca conectividade. Esta situação reduz as oportunidades de desenvolvimento de competências digitais e contribui para a clivagem digital e para as divisões nos mercados de trabalho, que podem piorar à medida que o tempo passa. Pelo exposto, o presente relatório merece o meu voto favorável.

Impact on fisheries of marine litter (A9-0030/2021 - Catherine Chabaud) PT

25-03-2021
Written explanations of vote

. – O lixo nos mares e oceanos tem um enorme efeito destruidor no ecossistema marinho, a ponto de hoje já não ser suficiente falar na sua conservação, mas sim na sua recuperação. Conservar já não é suficiente e, se nada for feito, o oceano, enquanto regulador climático, perde a sua capacidade de absorver CO2, de emitir oxigénio e de regular a temperatura do planeta. Simultaneamente, enquanto se degradam os recursos, o sector das pescas vê-se confrontado com a perda de qualidade do pescado, num prejuízo que ascende a 57 milhões de euros anuais. Não podemos esquecer que este sector emprega, a nível global, 59,5 milhões de pessoas, pelo que qualquer política de conservação e recuperação dos oceanos só será ambiental e socialmente eficaz, se envolver os agentes que participam nesta actividade. As políticas de protecção urgem, mas não podemos esquecer que muitas famílias vivem da pesca, sobretudo da pesca artesanal, de pequena escala e costeira, pelo que se impõem acções determinadas e proporcionais, pensadas para proteger o ambiente e também as pessoas, sobretudo num período difícil de pandemia como o que vivemos. Foi importante elaborar um relatório equilibrado, sem posições extremadas, mas consciente da gravidade do problema, apelando a políticas firmes e determinadas de recuperação do ecossistema marinho, de limpeza dos oceanos, contando para isso com a participação dos pescadores em programas de recolha activa de lixo e nas políticas de transição para materiais de pesca sustentáveis, com o devido apoio do FEAMPA. Uma nota para os constrangimentos sentidos em algumas regiões, como as Ultraperiféricas, que, atendendo à sua localização, se vêm confrontadas com o surgimento nas suas costas de uma quantidade enorme de lixo, proveniente de zonas mais remotas, arrastada pelas correntes. Estas regiões são obrigadas a lidar com a recolha e tratamento de resíduos que não produziram, pelo que se exige que sejam apoiadas em todo este processo, nomeadamente na construção de infraestruturas de tratamento. Pelo que acabei de expor, votei favoravelmente o presente relatório.

Cohesion Policy and regional environment strategies in the fight against climate change (A9-0034/2021 - Tonino Picula) PT

25-03-2021
Written explanations of vote

Este relatório centra-se no importante papel da política de coesão como um instrumento de apoio ao investimento no combate às alterações climáticas, contribuindo decisivamente para o objectivo da neutralidade até 2050. As mudanças ambientais, embora urgentes, devem ser acompanhadas por mudanças económicas e sociais, pelo que não podemos esquecer que no cerne destas questões estão pessoas e empresas criadoras de emprego e de riqueza. A política de coesão é relevante em três dimensões: na dimensão económica, fomentando o crescimento sustentável, a competitividade e a criação de emprego “verde”; na dimensão social, acautelando que ninguém é esquecido neste processo de transição; na dimensão territorial, zelando para uma maior inclusão de todas as regiões, em especial as que mais sofrem os efeitos da periferia. Estamos perante um relatório que salienta bem a importância da política de coesão no combate às alterações climáticas, mantendo as regiões, as empresas e as pessoas no centro das decisões, motivos pelos quais o apoiei com o meu voto a favor.

Contact

Bruxelles

Strasbourg