João PIMENTA LOPES
João PIMENTA LOPES

Grúpa na Clé i bParlaimint na hEorpa - GUE/NGL

Comhalta

an Phortaingéil - Partido Comunista Português (an Phortaingéil)

Dáta Breithe : , Campo Grande

Baile João PIMENTA LOPES

Comhalta

TRAN
An Coiste um Iompar agus um Thurasóireacht
PECH
An Coiste um Iascach
DPAL
An Toscaireacht don chaidreamh leis an bPalaistín
DACP
An Toscaireacht chun an Chomhthionóil Pharlaimintigh idir ACC agus AE

Comhalta ionadaíoch

ENVI
An Coiste um an gComhshaol, um Shláinte Phoiblí agus um Shábháilteacht Bia
AFCO
An Coiste um Ghnóthaí Bunreachtúla
DCAS
An Toscaireacht chun na gCoistí um Chomhar Parlaiminteach idir AE agus an Chasacstáin, idir AE agus an Chirgeastáin, idir AE agus an Úisbéiceastáin agus idir AE agus an Táidsíceastáin, agus don chaidreamh leis an Tuircméanastáin agus leis an Mongóil

Gníomhaíochtaí is déanaí

Binse a bhunú maidir le coir an fhogha i gcoinne na hÚcráine (RC-B9-0063/2023, B9-0063/2023, B9-0064/2023, B9-0068/2023, B9-0069/2023, B9-0072/2023) PT

19-01-2023
Written explanations of vote

Esta resolução sobre a criação de um denominado «tribunal especial para o crime de agressão contra a Ucrânia» constitui mais um estratagema para levar ainda mais longe a política de confrontação e de guerra.
Um estratagema que, para além de branquear as profundas responsabilidades e envolvimento dos EUA, NATO e UE, no conflito da Ucrânia, é significativamente promovido por aqueles que sistematicamente desrespeitaram a soberania, a integridade territorial e a independência de países, os princípios da Carta das Nações Unidas e da Acta Final da Conferência de Helsínquia. Os mesmos que, sendo responsáveis por inúmeras guerras de agressão, nunca foram responsabilizados pelo seu consequente legado de morte, sofrimento e destruição, deixando impunes crimes como os cometidos contra a Coreia, Vietname, o povo palestiniano e povos africanos, contra a Jugoslávia, Iraque, Afeganistão, Líbia, Síria, entre tantas outras agressões levadas a cabo pelos EUA, a NATO e os seus membros e aliados.
Estes aspectos atestam a ilegitimidade, o carácter instrumental e a hipocrisia deste dito «tribunal especial», um artifício no plano político-jurídico que não visa mais que ser utilizado como um instrumento de confrontação, no quadro da denominada «ordem internacional baseada em regras» estabelecida pelos EUA.
Os povos querem e precisam de paz, não da instigação à confrontação e à guerra

Freagairt an Aontais ar na hagóidí agus ar na básuithe san Iaráin (RC-B9-0066/2023, B9-0062/2023, B9-0066/2023, B9-0067/2023, B9-0070/2023, B9-0079/2023, B9-0080/2023) PT

19-01-2023
Written explanations of vote

São preocupantes os recentes acontecimentos no Irão, designadamente as acções de repressão contra aqueles que se manifestam genuinamente pelos seus direitos, bem como a operação em curso que, instrumentalizando reais problemas, visa intensificar a ingerência, a desestabilização e a agressão externa contra este país. É nesta operação que esta resolução se insere.
Solidarizamo-nos com a luta dos trabalhadores e do povo iraniano, e em particular com os comunistas iranianos que, em condições muito difíceis, estão do lado das justas reivindicações das massas populares e prosseguem a luta pela democracia e o progresso social no Irão, e reclamamos o respeito dos direitos, liberdades e garantias de todos quantos se manifestam legitimamente por justas reivindicações, nomeadamente das mulheres e dos jovens.
Num contexto internacional em que os EUA e os seus aliados incrementam a sua ofensiva de agressão, ingerência e desestabilização contra povos e países que não se submetem à sua estratégia de confrontação e domínio, a luta pelos direitos sociais e económicos, pela democracia, torna-se ainda mais inseparável da afirmação e defesa da soberania.
Consideramos que cabe ao povo iraniano tomar nas suas mãos a luta pelos seus direitos sociais, económicos, democráticos, rejeitando todas as acções e medidas que visam atingir a soberania e o direito ao desenvolvimento do Irão.

Rialú ghníomhaíochtaí airgeadais an Bhainc Eorpaigh Infheistíochta - tuarascáil bhliantúil 2021 (A9-0294/2022 - Angelika Winzig) PT

19-01-2023
Written explanations of vote

Este relatório, que constitui a avaliação por parte do Parlamento Europeu às actividades do Banco Europeu de Investimento (BEI) referentes ao ano de 2021, destaca positivamente a difícil situação enfrentada pelas pequenas e médias empresas (PME’s), referindo-se o seu papel fundamental e elevadíssima proporção no tecido empresarial dos Estados-Membros. Nota também para o destaque que é dado à chamada Transição Verde e para que se aumente o montante dedicado às politicas de coesão, em especial nas regiões menos desenvolvidas, com menção aos setores de desenvolvimento das áreas rurais, que importa que tenha tradução para a realidade.
Insta-se, como temos também alertado em anos anteriores, a Comissão a aumentar a transparência referente à sua influência na atribuição dos fundos e a que haja um reforço da informação apresentada ao Parlamento com o fim de aumentar a responsabilização e controlo do Parlamento nas decisões tomadas.
Contudo, mantêm-se presentes bases de carácter intervencionista em países terceiros bem como o conteúdo de apoio à política de financiamento da indústria militar e da militarização.

Teagmháil

Bruxelles

Parlement européen
Bât. ALTIERO SPINELLI
10G257
60, rue Wiertz / Wiertzstraat 60
B-1047 Bruxelles/Brussel
Strasbourg

Parlement européen
Bât. SALVADOR DE MADARIAGA
G00039
1, avenue du Président Robert Schuman
CS 91024
F-67070 Strasbourg Cedex