Veuillez remplir ce champ
Lídia PEREIRA Lídia PEREIRA
Lídia PEREIRA

Gruppo del Partito popolare europeo (Democratici cristiani)

Membro

Portogallo - Partido Social Democrata (Portogallo)

Data di nascita : , Se Nova

Home Lídia PEREIRA

Membro

ECON
Commissione per i problemi economici e monetari
D-CN
Delegazione per le relazioni con la Repubblica popolare cinese

Membro sostituto

ENVI
Commissione per l'ambiente, la sanità pubblica e la sicurezza alimentare
D-US
Delegazione per le relazioni con gli Stati Uniti

Ultime attività

Assegnazione di bande orarie negli aeroporti della Comunità: norme comuni PT

26-03-2020
Dichiarazioni di voto scritte

O surto de contágio da Covid-19 tem um impacto significativo em várias dimensões da actividade económica da União. O sector da aviação, em particular, é penalizado pela quebra acentuada do tráfego aéreo, motivada pela queda na procura e pelas medidas adoptadas pelos países para conter o surto. Estas circunstâncias estão fora do controlo das transportadoras que, apesar desta realidade, mantiveram a operação em voos quase vazios ou mesmo sem passageiros. Os cancelamentos voluntários desses voos mitigam o impacto na saúde financeira das transportadoras e nas consequências ambientais da sua realização. Todavia, as regras europeias determinam a perda de faixas horárias pelas transportadoras, quando não utilizam 80% desses “slots”.
O Regulamento em vigor prevê situações de encerramento de aeroportos, mas não circunstâncias excepcionais como a pandemia que vivemos, pelo que importa reagir a esta omissão, de forma a salvaguardar o valor económico das faixas horárias num duplo sentido: garantir que transportadoras não perdem precedentes históricos e que outras transportadoras podem utilizar os “slots” na ausência da sua utilização.
Assim, defendo a proposta de preservar, excepcional e temporalmente, o precedente histórico das companhias aéreas nas suas faixas horárias, no período crítico que vivemos e em cujos cancelamentos não lhes podem ser imputados.

Misure specifiche volte a mobilitare gli investimenti nei sistemi sanitari degli Stati membri e in altri settori delle loro economie in risposta all'epidemia di COVID-19 (Iniziativa di investimento in risposta al coronavirus) PT

26-03-2020
Dichiarazioni di voto scritte

O surto da Covid-19 é uma crise sanitária sem precedentes na União Europeia, cujos efeitos alcançam todos os Estados-Membros e determinam uma resposta conjunta. Esta acção da União deve ser rápida, determinada e eficaz para combater, no imediato, as consequências nos sistemas de saúde nacionais (altamente sobrecarregados com o esforço de contenção do contágio) e, a prazo, para mitigar as consequências económicas e sociais desta crise.
O aumento súbito e significativo dos investimentos públicos necessários cria uma necessidade urgente de financiamento e liquidez para sustentar o esforço comum de combate à pandemia por parte dos Estados-Membros. Em paralelo, a paralisação de grande parte dos sectores económicos resulta numa indispensabilidade de apoiar os agentes económicos para fazer face aos custos correntes, quando enfrentam graves problemas de tesouraria e liquidez. Por um lado, é essencial mobilizar financiamento para os Estados responderem à crise sanitária e, por outro lado, é essencial garantir condições para financiar a economia real e salvar empregos.
Assim, apoio a realocação de fundos europeus estruturais e de investimento e a adaptação, tão célere quanto possível, da estrutura dos fundos para a libertação de meios financeiros e para a facilitação da sua utilização, desburocratizando e simplificando.

Assistenza finanziaria agli Stati membri e ai paesi che stanno negoziando l'adesione all'Unione europea pesantemente colpiti da una grave emergenza di salute pubblica PT

26-03-2020
Dichiarazioni di voto scritte

O surto da Covid-19 é uma crise sanitária global que atinge a União Europeia de forma particularmente grave, sendo o nosso continente o epicentro, à data, desta pandemia. É uma calamidade pública, no sentido da sua imprevisibilidade, da sua dimensão transversal (afecta todos os países por igual e todos os sectores de actividade) e do seu impacto avassalador, impossível de calcular durante esta fase de contágio (mas de uma ordem de grandeza que podemos antecipar ser muito significativa).
A União Europeia tem de responder, de forma célere e eficaz, aos desafios imediatos e a prazo que são colocados pela pandemia. Exige-se mais que uma abordagem conjunta ao problema, mas verdadeiras respostas comuns e solidárias. Concordo, por isso, com a revisão do Fundo de Solidariedade da União para compreender catástrofes de grandes dimensões causadas por riscos biológicos.
Este Fundo deve ser utilizado em toda a sua extensão para fazer face à emergência sanitária que vivemos e deve ser plataforma de uma acção conjunta e solidária dos 27 entre si e com os países que negoceiam a sua adesão.
Espero que a sua activação e aplicação seja tão célere quanto as circunstâncias exigem e que a execução seja simplificada, desburocratizada e acessível.

Lídia PEREIRA
Lídia PEREIRA

Sul NEWSHUB del PE

RT @MaduroPoiares: Expresso | Poiares Maduro: “Um plano Marshall está ao alcance da União Europeia” https://t.co/fE68XqXQ5e 

RT @ppdpsd: Eurodeputados do PSD apresentam pacote de medidas de combate à crise da Covid-19 https://t.co/G5hhAueafL  @psdparleuropeu #PSD #COVID19

A world paused by a #pandemic, waiting for a vaccine. Where are anti-vaccination movements now? #COVID2019

Per contattarci

Bruxelles

Strasbourg

Indirizzo postale

  • European Parliament
    Office

    1047 Bruxelles