Cerimónia da entrega do Prémio Sakharov: “Sentsov é um lutador por natureza” 

 
 

Partilhar esta página: 

O Prémio Sakharov 2018 para a Liberdade de Pensamento foi atribuído ao cineasta e escritor ucraniano Oleg Sentsov. Assista ao vídeo da entrega do prémio.

Em representação de Oleg Sentsov: a sua prima, Natalya Kaplan, e o seu advogado, Dmitriy Dinze, com o Presidente do PE, Antonio Tajani.  

Não esteve presente no Parlamento Europeu (PE) para receber pessoalmente o prémio na quarta-feira, 12 de dezembro, porque permanece preso na Sibéria, cumprindo uma pena de 20 anos por “planear atos de terrorismo” contra a permanência “de facto” russa na Crimeia.

A sua prima, Natalya Kaplan, e o seu advogado, Dmitriy Dinze, representaram-no na cerimónia realizada no hemiciclo do PE, em Estrasburgo.

Ao entregar o prémio, o presidente do PE, Antonio Tajani, disse: “Oleg Sentsov foi laureado pelo seu protesto pacífico contra a ocupação ilegal de sua terra-natal, a Crimeia. Mas também pela sua coragem, determinação e convicções no apoio da dignidade humana, democracia, Estado de direito e direitos humanos. Estes são os valores sobre os quais assenta a nossa União, ainda mais depois do terrível ataque de ontem, valores que este Parlamento preza, defende e promove”.

“A greve de fome de Sentsov e a sua corajosa postura pública fizeram dele um símbolo da luta pela libertação dos prisioneiros políticos que ainda se encontram detidos na Rússia e em todo o mundo”, acrescentou. Observando que o prémio é entregue num momento de graves tensões entre a Rússia e a Ucrânia, Tajani pediu uma atenuação da escalada do conflito e reiterou o apoio à integridade territorial da Ucrânia.

O presidente do PE apelou à libertação imediata e incondicional de Oleg Sentsov e de todos os outros cidadãos ucranianos detidos ilegalmente na Rússia e na Península da Crimeia, bem como a de outros galardoados que se encontram detidos: “O Prémio Sakharov não é apenas um prémio. É um compromisso. Continuamos a acompanhar de perto os nossos laureados”.

“Graças a seu ato [greve de fome] o mundo inteiro falou sobre as repressões da Rússia – e isso é uma vitória”, afirmou Natalya Kaplan.  

Quando Natalya Kaplan recebeu, das mãos de Tajani, a distinção, descreveu de uma forma muito vívida a vida, as ações levadas a cabo durante a anexação da Crimeia e as torturas e espancamentos pelos quais o seu primo passou quando foi preso e condenado por atos que nunca havia cometido. “Oleg é uma pessoa que não pode desistir e apenas ficar sentado em silêncio. Ele é um lutador por natureza”.

Ao descrever a greve de fome que Sentsov fez pela libertação de todos os prisioneiros políticos ucranianos, Natalya Kaplan disse que, durante esse período “de 145 dias, nenhum prisioneiro político foi libertado, mas isso não significa que ele perdeu – graças a seu ato o mundo inteiro falou sobre as repressões da Rússia – e isso é uma vitória”.

A familiar do cineasta ucraniano concluiu a sua intervenção com uma mensagem do próprio: “Não posso estar presente nesta sala, mas vocês podem ouvir as minhas palavras. Mesmo que outra pessoa esteja a dizer que a palavra é a principal ferramenta de alguém e, muitas vezes, a sua também, especialmente quando tudo o resto foi retirado dele”.

Antonio Tajani deu também as boas-vindas aos dois outros finalistas do Prémio Sakharov 2018: os pais do ativista marroquino Nasser Zefzafi, que está igualmente detido, e aos representantes das onze Organizações Não-Governamentais que salvam vidas no mar Mediterrâneo.

Recordando os 30 anos da atribuição do Prémio Sakharov, o presidente do PE afirmou o seu propósito: “Tem apoiado indivíduos e organizações em todo o mundo, totalmente comprometidos em lutar pela justiça social, frequentemente com grande risco pessoal”.

“Cinco vencedores do Prémio Sakharov foram posteriormente premiados com o Prémio Nobel da Paz”, acrescentou, incluindo o médico congolês Denis Mukwege e a ativista iraquiana Nadia Murada, que receberam esta última distinção em 2018.

O anúncio de que o Prémio Sakharov 2018 para a Liberdade de Pensamento seria atribuído a Oleg Sentsov foi feito pelo presidente do PE no dia 25 de outubro.