Ilham Tohti é o vencedor do Prémio Sakharov 2019 

 
 

Partilhar esta página: 

Ilham Tohti, um economista que luta pelos direitos da minoria uigure na China, é o vencedor do Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento 2019 do Parlamento Europeu.

Ilham Tohti © Andy Wong/AP images  

O vencedor foi escolhido pelos líderes políticos do Parlamento Europeu, no dia 24 de outubro.


Durante o discurso de homenagem ao laureado, o Presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, afirmou: “É com muito prazer que anuncio que o Parlamento Europeu escolheu Ilham Tohti como o vencedor do Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento de 2019. Ilham Tohti dedicou a sua vida à defesa dos direitos da minoria uigure na China. Apesar de ser uma voz para a moderação e a reconciliação, foi condenado a prisão perpétua em 2014”.


“Ao conceder-lhe este prémio, solicitamos ao governo chinês que liberte Ilham Tohti com urgência e pedimos que os direitos das minorias sejam respeitados na China”.



Sobre o vencedor

Ilham Tohti é um defensor do diálogo e da implementação de autonomia legislativa regional na China. Em 2014, foi condenado a prisão perpétua sob acusações separatismo. Ainda é visto como uma voz de moderação e reconciliação. Desde 2017, mais de um milhão de uigures foram detidos e encontram-se em campos de trabalhos forçados.


Cerimónia de entrega de prémios

O prémio, que consiste na atribuição de um certificado e de 50 mil euros ao vencedor, vai ser entregue numa cerimónia no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, no dia 18 de dezembro de 2019.



Os finalistas

Três defensores dos direitos humanos brasileiros e um grupo de estudantes brasileiros foram os finalistas do Prémio Sakharov deste ano.


Saiba mais sobre os outros finalistas neste artigo.



Mais sobre o Prémio Sakharov

O Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento, nomeado em honra do físico e dissidente político soviético Andrei Sakharov, é atribuído anualmente pelo Parlamento Europeu. Foi criado em 1988 para homenagear pessoas e organizações que defendem os direitos humanos e as liberdades fundamentais.


No ano passado, o prémio foi entregue ao realizador ucraniano Oleg Sentsov.


Saiba mais sobre a forma como o laureado é escolhido na infografia