Sessão plenária: nova Comissão, orçamento para 2020 e alterações climáticas 

 
 

Partilhar esta página: 

Os eurodeputados elegeram a nova Comissão Europeia, aprovaram o orçamento da UE para 2020, pediram medidas rigorosas para uma Europa mais ecológica e atribuíram o Prémio Lux de Cinema.

O Parlamento Europeu elegeu a nova Comissão Europeia, concluindo o longo processo de exame da equipa de comissários indigitados para assegurar que o órgão executivo da UE tem a legitimidade democrática para agir consoante os interesses dos europeus.


Na quarta-feira, o Parlamento Europeu aprovou o novo orçamento da UE para 2020, depois de ter sido aceite pelo Conselho, no dia 25 de novembro. Os eurodeputados asseguraram mais financiamento para ações climáticas, os projetos de investigação, o investimento em infraestruturas, assim como para iniciativas para ajudar os jovens, como o Erasmus+ e a Iniciativa para o emprego dos jovens.


A UE deve comprometer-se a atingir a neutralidade carbónica até 2050, sob o Acordo de Paris, e aumentar a exigência para as metas para a redução de emissões traçadas para 2030, como ficou escrito numa resolução adotada esta quinta-feira. Numa outra resolução, o Parlamento Europeu solicitou a declaração do estado de emergência climática na Europa.


Para assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, o edifício do Parlamento Europeu em Estrasburgo foi iluminado de laranja, na noite de segunda-feira. Os eurodeputados debateram medidas para prevenir situações de violência contra as mulheres e, na quinta-feira, aprovaram uma resolução para que os Estados-membros que ainda não adotaram a Convenção para a Prevenção e o Combate à Violência Contra as Mulheres o façam brevemente.

Depois da comemoração do 30º aniversário da Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança, no dia 20 de novembro, o Parlamento Europeu adotou uma resolução, esta quarta-feira, para solicitar mais ação contra o tráfico e o casamento forçado de menores. Os eurodeputados também sublinharam a contribuição crucial das crianças para a luta contra as alterações climáticas.


O laureado com o Prémio Sakharov 2018, o realizador ucraniano recentemente libertado da prisão, Oleg Stensov, recebeu finalmente o galardão em mãos, esta terça-feira. Passou cinco anos na prisão depois de ter participado numa manifestação contra a anexação da Crimeia pela Rússia. “Aceito este prémio em nome de todos os presos políticos ucranianos que passaram pelas prisões russas e a todos os que ainda lá estão”, afirmou.


Os eurodeputados escolheram o filme “God Exists, Her Name Is Petrunya” como o grande vencedor do Prémio Lux de Cinema, que promove anualmente as longas-metragens europeias. “A Petrunya é um exemplo do poder que o cinema tem de mudar as coisas”, disse a realizadora Teona Mitevska, depois de receber o prémio. Saiba mais aqui.