Reduzir as emissões dos automóveis: as novas metas de CO2 na UE 

Atualizado: 
 
Criado:   
 

Partilhar esta página: 

Para alcançar o objetivo de zero emissões de CO2 nas estradas até 2035, os eurodeputados propõem limites de CO2 mais rigorosos para carros e furgonetas.

Por que razão é necessário?

Como parte dos esforços para cumprir os seus ambiciosos objetivos climáticos, a União Europeia (UE) está a rever a legislação em setores com um impacto direto, ao abrigo do pacote “Objetivo 55” (ou “Fit for 55" em inglês). Tal inclui os transportes, o único setor no qual as emissões de gases com efeito de estufa permanecem superiores aos níveis de 1990, tendo aumentado mais de 25% desde então. Os transportes representam um quinto das emissões totais da UE.

O transporte rodoviário representa a maior percentagem das emissões dos transportes e, em 2021, foi responsável por 72% de todas as emissões de gases com efeito de estufa dos transportes da UE à escala nacional e internacional.

Automóveis novos de passageiros e veículos comerciais ligeiros


Os automóveis novos de passageiros e os veículos comerciais ligeiros (ou furgonetas) novos produzem cerca de 15% das emissões de dióxido de carbono na União Europeia (UE), contribuindo, assim, para as alterações climáticas

A imposição de restrições nos limites de emissões de dióxido de carbono ajudariam a atingir as metas climáticas da UE.


Situação atual

As emissões médias de CO2 provenientes de veículos novos eram de 122,3g CO2/km, ou seja, melhores do que as 130g CO2/km referentes ao período entre 2015 e 2019. No entanto, este volume encontra-se bem acima da meta atual de 95g/km fixada para 2021 e em diante.

O número de carros elétricos tem crescido de forma acelerada, tendo constituído 11% dos novos registos de automóveis de passageiros no ano de 2020.


Descobre mais números sobre as emissões de veículos nas nossas infografias.  

Novas metas

Em julho de 2021, a Comissão Europeia propôs reduzir o limite de emissões dos automóveis novos de passageiros e dos veículos comerciais ligeiros em mais 15% a partir de 2025; bem como uma redução de 55% para os automóveis novos de passageiros e 50% para os veículos comerciais ligeiros até 2030; e o objetivo de alcançar as emissões líquidas nulas de CO2 até 2035.

Os objetivos são expressos em percentagens porque a norma de 95 g/km terá de ser recalculada de acordo com um novo teste de emissões mais rigoroso, o qual reflete melhor as condições reais de condução.

A alteração da legislação deverá beneficiar os cidadãos ao facilitar uma utilização mais abrangente de veículos com emissões líquidas nulas (melhor qualidade de ar, poupanças energéticas e menores custos na aquisição de um veículo), bem como incentivar a inovação no que refere a tecnologias que causem emissões líquidas nulas.



A ambição climática dos eurodeputados

Os eurodeputados apoiaram o objetivo da Comissão relativo às emissões líquidas nulas em 2035 e a alteração das metas para os automóveis novos de passageiros e os veículos comerciais ligeiros , na plenária de 8 de junho. O Parlamento também frisou que a Comissão Europeia deverá apresentar, até finais de 2025, um relatório sobre os progressos realizados no sentido de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e o seu impacto nos consumidores e no emprego.

No relatório da ENVI, os eurodeputados instam também a Comissão Europeia a desenvolver até 2023 uma metodologia para avaliar todo o ciclo de vida das emissões de CO2 nos automóveis novos de passageiros e veículos comerciais ligeiros que inclua, por exemplo, critérios como o combustível e a energia consumidos.

Agora os eurodeputados podem iniciar as negociações com os governos da UE sobre esta matéria de fundo.



Conhece mais medidas da UE para reduzir as emissões de carbono:

Os novos objetivos de CO2 englobam automóveis, carrinhas, camiões e a rede urbana de autocarros.