Vídeo: dez mil guardas para reforçar as fronteiras externas da UE 

Atualizado: 
 
Criado:   
 

Partilhar esta página: 

Para aumentar a segurança na Europa, os eurodeputados votaram planos para dotar a Agência da Guarda de Fronteiras e Costeira da UE de um corpo permanente de dez mil guardas até 2027.

"Temos de ser justos com aqueles que merecem proteção, duros com aqueles que atacam pessoas vulneráveis e firmes com aqueles que querem quebrar as regras", afirmou Roberta Metsola (PPE, Malta) antes da votação sobre novas medidas para reforçar a Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira.

As fronteiras externas da Europa têm variado no número de migrantes e refugiados que pretendem entrar na UE. Esta proposta visa equipar a agência da UE com um aumento de dez mil guardas até 2027 e permitir um retorno eficiente em casos em que os cidadãos não Europeus não tenham direito a ficar. O corpo permanente vai ser composto por membros empregados pela agência, bem como por pessoas destacadas numa base obrigatória pelos países da UE.

Dez mil guardas para reforçar as fronteiras externas da UE  

As alterações visam gerir melhor a migração, garantir que a Europa é capaz de proteger eficazmente as suas fronteiras externas e proporcionar um elevado nível de segurança no interior da União. O novo corpo permanente pode, a pedido de um país da UE, proceder ao controlo das fronteiras e à gestão da migração, bem como combater a criminalidade transfronteiriça. Em caso de emergência, os países podem recorrer à sua reserva de reação rápida para efeitos de assistência.

Uma vez formalmente adotadas pelo Parlamento e pelo Conselho, as novas regras entram em vigor 20 dias após a sua publicação no Jornal Oficial da UE. O novo corpo permanente vai estar disponível para destacamento a partir de 2021.

Saiba mais no vídeo acima com a eurodeputada responsável, Roberta Metsola.