Cancro: regras do PE para reduzir os agentes cancerígenos no local de trabalho 

Atualizado: 
 
Criado:   
 

Partilhar esta página: 

O cancro representa mais de metade das mortes relacionadas com o trabalho na UE. Conheça as novas normas adotadas para proteger os trabalhadores contra agentes cancerígenos e mutagénicos.

Regras do PE para reduzir os agentes cancerígenos no local de trabalho  

Para reduzir ainda mais o risco de cancro entre os trabalhadores, o Parlamento adoptou uma terceira revisão da directiva de 2004 para limitar as substâncias nocivas no local de trabalho. Aprovada em 27 de março de 2019, a revisão acrescenta limites de exposição para cinco produtos químicos utilizados em sectores como o fabrico de baterias de níquel-cádmio, fundição de zinco e cobre, laboratórios, electrónica, funerais, construção, cuidados de saúde, plásticos e reciclagem.

A diretiva alterada da UE inclui agora limites de exposição para 27 produtos químicos cancerígenos.

Este acordo [...] vai ajudar a melhorar as condições de trabalho a longo prazo de mais de um milhão de trabalhadores na UE, evitando mais de 22 000 casos de doenças profissionais por ano

Laura Agea (EFDD, Itália) 
Partilhar esta citação: 

Em 2017 foi feita uma primeira revisão da diretiva quando os eurodeputados estabeleceram limites de exposição para 11 carcinogéneos adicionais.


Cancro no local de trabalho: principais factos

O cancro é a primeira causa de mortes relacionadas com o trabalho na União Europeia. Todos os anos, 53% podem estar diretamente ligadas com o cancro, 28% às doenças do sistema circulatório (cardiovasculares) e 6% às doenças respiratórias. Os tipos mais comuns de cancros relacionados com a atividade laboral são os do pulmão, mesotelioma (causado pela exposição a partículas de asbesto) e o da bexiga. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma em cada dez mortes por cancro do pulmão está intimamente relacionada aos riscos no local de trabalho.


Os setores de trabalho mais afetados são o da construção, os fabricantes de produtos químicos, as indústrias automóvel e de mobiliário, os produtores alimentares, os fabricantes de têxteis, a indústria da madeira e o sector da saúde.