Dar sangue salva vidas 

 
 

Partilhar esta página: 

©BELGA/ANP/Lex van Lieshout  

A doação voluntária de sangue está a aumentar na União Europeia mas os jovens europeus parecem menos interessados em dar sangue do que as gerações mais velhas. Dar sangue é um acto de generosidade e solidariedade, que precisa de ser promovido e divulgado. No dia 15 de Junho, os membros da comissão parlamentar do Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar (ENVI) debateram o último relatório elaborado pela Comissão Europeia nesta matéria.

"Sou doador de sangue e a importância das doações foi mais uma vez comprovada durante o surto de E-coli. Os hospitais alemães fizeram um apelo urgente à doação de sangue, pela escassez disponível", alerta o eurodeputado alemão Jo Leinen (S&D), presidente da comissão ENVI.


A doação de sangue deve ser voluntária e gratuita. A directiva europeia de 2002 estipula que os Estados-Membros devem tomar as medidas necessárias para encorajar a doação voluntária, de forma a garantir que o sangue disponível nos bancos de sangue resulte, tanto quanto possível, dessas doações.


Em 24 Estados-Membros existem incentivos aos doadores, incluindo benefícios fiscais, folga no dia da doação, viagens pagas para e a partir do centro de doação, uma refeição, acesso aos resultados das análises.


Em 23 Estados-Membros, os centros de recolha são geralmente entidades públicas ou sem fins lucrativos. Na Áustria os centros de recolha são privados e na Finlândia, Alemanha e Lituânia o sistema é misto.


O número de doações voluntárias e gratuitas aumentou mais de 50% ao longo dos últimos 10 anos, de acordo com os últimos dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Cerca de 70% das doações são feitas por doadores do sexo masculino, sendo que nos países mais ricos os doadores tendem a ser mais idosos do que nos países mais pobres.


De acordo com a OMS, a existência de 1% de doadores entre a população é geralmente suficiente para dar resposta às necessidades básicas de um país.

Alguns dados estatísticos 
  • 37% dos europeus doam sangue 
  • Áustria, França, Grécia e Chipre: países da UE onde a doação é mais popular 
  • Portugal, Itália, Polónia, Malta e Suécia: países da UE onde a doação é menos popular