Eurodeputados aprovam novas regras para reduzir a emissão de CO2 nos automóveis 

 
 

Partilhar esta página: 

Em 2050, as emissões do transporte rodoviário deverão ter sido reduzidas para metade. © BELGA/J.Hardy/Maxppp  

A comissão parlamentar do ambiente aprovou novas regras que tornam possível à UE alcançar as ambiciosas metas para carros mais ecológicos em 2020. As emissões de CO2 terão que descer de 130gCO2/km em 2015 para 95gCO2/km em 2020. Atualmente os automóveis são responsáveis por um quinto de todas as emissões de CO2 na Europa. A proposta aprovada esta semana define os passos necessários para atingir o objetivo de 2020.

Reduzir as emissões de CO2


As emissões de CO2 do transporte rodoviário aumentaram cerca 26% entre 1990 e 2008. Os objetivos de 2020 de 95gCO2/km deverão ser atingidos por fases, através da redução anual dos limites das emissões de CO2 dos automóveis. A UE também está a olhar para além de 2020, uma vez que é importante para os fabricantes de automóveis saber que padrões serão aceites, de forma a desenvolverem a tecnologia necessária. Em 2050, as emissões do transporte rodoviário deverão ter sido reduzidas para metade.


Como é que as emissões vão reduzidas?


A proposta introduz um sistema de incentivos para os fabricantes de automóveis que produzam carros com menos emissões. Se os construtores de automóveis produzirem carros que emitam menos CO2 do que o obrigatório poderão acumular "super créditos", que podem ser usados para compensar outros anos em que fiquem aquém dos objetivos. Se as empresas não atingirem o objetivo terão que pagar cada grama por quilómetro (g/km) que seja emitida para além do limite.


De forma a avaliar se as empresas atingem os objetivos serão levados em conta todos os automóveis produzidos. Assim, se tiverem modelos mais poluentes, podem compensar produzindo outros modelos mais ecológicos.


Para além do impacto no ambiente, a comissão parlamentar também teve em consideração a forma como as medidas poderiam afetar a indústria automóvel europeia. Para o relator, o eurodeputado Thomas Ulmer, os padrões comuns vão ter um enorme impacto no emprego em toda a Europa. "Os automóveis vão ficar ainda mais económicos o que irá reduzir o custo de funcionamento dos consumidores", acrescentou o eurodeputado alemão do PPE.


Próximos passos


Os eurodeputados deverão votar a proposta na sessão plenária de julho de 2013. Quer o Parlamento, quer o Conselho vão ter que a aprovar para que possa entrar em vigor.