“Pinte o mundo de laranja”: Parlamento Europeu apela a maior proteção dos direitos das mulheres  

 
 

Partilhar esta página: 

O Parlamento Europeu vai iluminar-se de laranja para assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres.  

Uma em cada três mulheres foi vítima de violência sexual ou física na Europa. Este número revela que a violência contra as mulheres continua a ser muito comum apesar de já nos encontrarmos em 2016. Na véspera do Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, os eurodeputados apelaram à UE para aderir à Convenção de Istambul sobre a prevenção e o combate da violência contra as mulheres e o Parlamento iluminou-se com a cor laranja como forma de apoio à iniciativa da ONU.

A violência contra as mulheres ainda é muito comum na Europa e no mundo.  

Violência contra as mulheres: crime grave e muito comum na Europa


"A violência contra as mulheres é um crime grave e é muito comum na Europa. Todos os dias, em casa, em espaços públicos ou nas redes sociais, as mulheres e as raparigas continuam a estar sujeitas à violência, à discriminação e assédio. Com a nossa resolução pedimos aos Estados-Membros para ratificarem e implementarem a Convenção de Istambul e ao Conselho da UE para acelerar a adesão da União à convenção”, explicou Anna Maria Corazza Bildt, eurodeputada sueca do PPE.


A Convenção de Istambul


A Convenção de Istambul do Conselho da Europa é um tratado internacional e o primeiro instrumento vinculativo que criminaliza a violência de género, prevê sanções e medidas para combater a impunidade, prevenir o crime e proteger as vítimas.


Apesar de ter entrado em vigor em agosto de 2014 e de todos os Estados-Membros da UE o terem assinado, apenas 14 países da UE, onde se inclui Portugal, o ratificaram até ao momento.


A violência contra as mulheres e as raparigas é uma forma extrema de discriminação e a violações dos seus direitos humanos. É importante que a UE ratifique a Convenção de Istambul que inclui medidas concretas para prevenir a violência, proteger as vítimas e julgar os responsáveis”, afirmou a eurodeputada francesa do S&D, Christine Revault d´Allonnes Bonnefoy.


Esta semana, o Presidente do Parlamento Europeu Martin Schulz instou a Presidência do Conselho a acelerar o processo ao nível da UE e a pedir aos restantes Estados-Membros para agilizar o processo de ratificação.

Pinte o Mundo de Laranja (#Orange the world)

O Parlamento Europeu em Bruxelas vai iluminar-se com a cor laranja na noite de 25 de novembro para assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres e a iniciativa da ONU “Pinta o Mundo de Laranja”.