Como se proteger do cibercrime 

 
 

Partilhar esta página: 

A sua palavra-passe é segura? ©Vitalii Vodolazskyi/AdobeStock  

O cibercrime disparou após o surto da COVID-19, com entidades malfeitoras a explorar os medos dos indivíduos. Encontre aqui algumas dicas sobre como se proteger melhor.

Com as medidas para conter a propagação do coronavirus passamos mais tempo online, seja em teletrabalho ou por lazer. Se lhe juntarmos a ansiedade gerada pela crise, podemos encontrar comportamentos online inseguros fáceis de aproveitar por cibercriminosos.


Através de métodos de phishing, instalação de programas maliciosos, entre outros, roubam dados e acedem a aparelhos, com o objetivo de entrar em contas bancárias ou até em bases de dados de organizações.

Métodos mais comuns de ciberataques COVID-19 
  • Mensagens falsas ou links para inquietar, associados a páginas web maliciosas ou com programas maliciosos anexados, com noticias sobre curas, mapas sobre a propagação do virus, pedidos de donativos, emails no nome de organizações de saúde.  
  • Mensagens ou chamadas falsas em nome da Microsoft, Google Drive e outros, para obter o utilizador e palavra-passe, oferecendo “ajuda” ou ameaçando a suspensão da sua conta. 
  • Mensagens falsas sobre entrega de encomendas inexistentes. 

Como pode proteger-se online?



A UE tem solicitado aos operadores de telecomunicações que protejam as redes da UE dos ciberataques. Por enquanto, pode usar a internet em casa em segurança, para lazer ou teletrabalho, se seguir estas dicas:


  • Esteja atento a e-mails, SMS e chamadas desconhecidos, sobretudo o interlocutor usar a crise para pressioná-lo a contornar os procedimentos normais de segurança. Para os criminosos é mais fácil manipular um indivíduo que piratear um sistema complexo. Recorde que bancos e outras entidades legais nunca lhe pedirão para partilhar uma palavra-passe.

  • Proteja a sua rede doméstica. Fortaleça a palavra-passe inicial da rede Wi-Fi. Limite o número de dispositivos conectados à sua rede e aceite apenas os de confiança.

  • Fortaleça as suas palavras-passe. Prefira palavras longas e complexas com números, letras e caracteres especiais.

  • Proteja o seu equipamento. Assegure a atualização de todos os sistemas e aplicações e de um software de antivirus.

  • Preste atenção aos que o rodeiam. As suas crianças ou outras pessoas podem, acidentalmente, apagar ou alterar informação, ou até infetar o dispositivo que usa para o trabalho.

 

Mais dicas para se proteger a si e à sua empresa

Medidas europeias para uma internet segura



O Parlamento Europeu tem apoiado as medidas da UE para garantir a segurança na internet, tendo em conta que a confiança e o nível de segurança das redes e da informação são cruciais para sociedade.



Instituições da UE como a Comissão Europeia, a Agência da UE para a Cibersegurança, o CERT-EU e a Europol continuarão a trabalhar em prol do rastreio de atividades criminais, da sensibilização e da proteção dos cidadãos e das empresas.