Uma em cada seis pessoas não tem acesso a água potável 

 
 

Partilhar esta página: 

©GETTY  

Apesar de ser um direito fundamental, o acesso a água potável não é uma realidade em diversas regiões do mundo. As águas contaminadas são responsáveis por 1,5 milhões de mortes por ano, 2,5 milhões de pessoas vivem sem condições sanitárias básicas e uma em cada seis pessoas não tem direito a água potável. A assembleia UE-ACP, reunida em Budapeste, apelou à adopção de medidas globais para melhorar as condições sanitárias, preservar as florestas tropicais e punir os responsáveis pela poluição.

Nos países em desenvolvimento, 70% dos resíduos industriais são despejados na água sem serem sujeitos a qualquer tratamento, poluindo os canais de fornecimento de água. Apesar de os principais poluidores serem a indústria, a agricultura e os esgotos, a contaminação mais comum da água potável é feita através de resíduos fecais, que têm um impacto dramático: de acordo com as estatísticas da ONU, a cada 20 segundos morre uma criança por falta de condições sanitárias.


"O pré-requisito mais importante para a saúde é uma boa infra-estrutura sanitária", sublinhou a eurodeputada alemã Christa Klass (Partido Popular Europeu).


Os investimentos em infra-estruturas e tratamento de águas residuais são dispendiosos e muitos países ACP não dispõem de meios financeiros para os fazer. Por outro lado, a crescente urbanização destes países torna cada vez mais urgente a existência de água potável e o tratamento de resíduos.


Um dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio é reduzir para metade o número de pessoas sem acesso a água potável até 2015.


"Temos de ser coerentes com as nossas políticas. Por um lado, subscrevemos os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio e, por outro, deixamos que as empresas dedicadas à extracção mineira continuem a poluir as águas estrangeiras", lamentou a eurodeputada britânica Fiona Hall (Aliança dos Democratas e Liberais).


Florestas tropicais: um bem precioso

As florestas tropicais desempenham um papel fundamental no equilíbrio planetário, armazenando grandes quantidades de carbono e ajudando a regular a temperatura e a ocorrência de chuvas.


"Se não prestarmos atenção às alterações climáticas acabaremos por ficar sem água. Temos de proteger as florestas que protegem os recursos hídricos", frisou Bobbo Hamatoukour, dos Camarões.