Prémio Sakharov 2013 vai para jovem paquistanesa Malala Yousafzai 

Comunicado de imprensa 
Sessão plenária 
 
 

Partilhar esta página: 

Malala Yousafzai é a vencedora do Prémio Sakharov 2013 (©ISOPIX)  

A jovem ativista paquistanesa para a educação das raparigas, Malala Yousafzai, é a vencedora do Prémio Sakharov deste ano. A decisão foi hoje tomada pela Conferência de Presidentes do Parlamento Europeu, constituída pelo presidente da instituição e pelos líderes dos grupos políticos. A cerimónia de entrega do prémio realiza-se no dia 20 de novembro, em Estrasburgo.


"Ao atribuir o Prémio Sakharov a Malala Yousafzai, o Parlamento Europeu reconhece a força incrível desta jovem. Malala bate-se com coragem pelo direito de todas as crianças à educação, um direito que é frequentemente negligenciado em relação às raparigas ", disse o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, ao anunciar a vencedora do prémio.


"Amanhã, 11 de outubro, é o Dia Internacional da Rapariga. Gostaria de recordar que cerca de 250 milhões de raparigas no mundo não podem ir livremente à escola. O exemplo de Malala relembra-nos do dever e da responsabilidade de garantir o direito à educação das crianças. Este é o melhor investimento no futuro", acrescentou.


Malala Yousafzai, de 16 anos, é uma estudante da cidade de Mingora, no distrito de Swat, Paquistão, conhecida pelo seu ativismo pelos direitos das mulheres no vale de Swat, onde o regime talibã proibiu as raparigas de frequentar a escola.


A ativista fez o seu primeiro discurso público em setembro de 2008, intitulado "Como se atrevem os talibã a retirar o meu direito básico à educação?". Quando todas as escolas para raparigas sob o controlo talibã foram encerradas em janeiro de 2009, Malala começou um blog para a BBC Urdu sob o pseudónimo Gul Makai, uma heroína popular.


O blog trouxe a fama para a estudante e a sua luta. Logo que a sua identidade foi revelada, a sua família foi alvo de ameaças, levando a uma tentativa de homicídio em outubro de 2012, quando Malala foi atingida a tiro na cabeça e no pescoço por atiradores talibã quando regressava a casa num autocarro escolar.


"A Malala obteve reconhecimento global como defensora dos direitos humanos", afirmaram os eurodeputados que a nomearam para o prémio, militando "pelo direito das mulheres à educação, liberdade e autodeterminação".


A jovem paquistanesa foi nomeada em conjunto pelo PPE, S&D, ALDE, Jean Lambert (Verdes/ALE, UK) e ECR.


Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento


Todos os anos, desde 1988, o Parlamento Europeu atribui o Prémio Sakharov a indivíduos ou organizações que se destacam na defesa dos direitos humanos, das liberdades e da democracia. O prémio é assim chamado em honra do cientista e dissidente político soviético Andrei Sakharov.