Merkel no PE: Nacionalismo e egoísmo não podem ter de novo lugar na Europa 

Comunicado de imprensa 
Sessão plenária 
 
 

Partilhar esta página: 

Angela Markel expôs hoje a sua visão sobre o futuro da Europa  

A chanceler alemã, Angela Merkel, participou hoje no ciclo de debates no Parlamento Europeu (PE) sobre o futuro da Europa.

“A tolerância é a alma da Europa e um valor essencial básico da ideia europeia”, afirmou Angela Merkel perante os eurodeputados e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. Na sua intervenção no hemiciclo de Estrasburgo, a chanceler alemã referiu os numerosos desafios enfrentados pela UE, como a dívida pública, o terrorismo, os conflitos na vizinhança, a migração, a digitalização e as alterações climáticas.


A Europa deve manter-se unida para fazer face a estes desafios, disse Merkel, salientando que a solidariedade se baseia na tolerância, sendo esta a força da Europa: “Faz parte do nosso ADN europeu comum e significa a ultrapassagem dos egoísmos nacionais”.

A chanceler alemã apoiou a criação de um verdadeiro exército europeu, complementar à NATO, para “mostrar ao mundo que nunca mais haverá guerra entre os países europeus”.

Clique nos links para ver os vídeos das intervenções


Introdução do presidente do PE, Antonio TAJANI


Angela MERKEL, chanceler da Alemanha


Jean-Claude JUNCKER, presidente da Comissão Europeia


Manfred WEBER (PPE, DE)


Udo BULLMANN (S&D, DE)


Ryszard Antoni LEGUTKO (ECR, PL)


Guy VERHOFSTADT (ALDE, BE)


Ska KELLER (Verdes/ALE, DE)


Gabriele ZIMMER (CEUE/EVN, DE)


Nigel FARAGE (EFDD, UK)


Marcus PRETZELL (ENF, DE)


Angela MERKEL (respostas)


O vídeo completo do debate em plenário está disponível aqui.


Contexto


O discurso da chanceler alemã realizou-se no âmbito de um ciclo de debates que o PE está a organizar com chefes de Estado ou de Governo da UE sobre o futuro da Europa, no qual já participaram 11 líderes europeus, entre os quais o primeiro-ministro português, António Costa, no dia 14 de março.


Depois de Angela Merkel, será a vez do primeiro-ministro da Dinamarca, Lars Løkke Rasmussen, intervir perante os eurodeputados, na sessão plenária de 28 de novembro, em Bruxelas. Seguir-se-ão o Presidente de Chipre, Nicos Anastasiades, na sessão de dezembro, o primeiro-ministro de Espanha, Pedro Sánchez, na sessão de janeiro I, o primeiro-ministro da Finlândia, Juha Sipilä, na sessão de janeiro II, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, em fevereiro, e o primeiro-ministro da Eslováquia, Peter Pellegrini, em março.