Partilhar esta página: 

Christine Lagarde deverá suceder ao atual presidente do BCE, Mario Draghi, no dia 1 de novembro  

O Parlamento Europeu (PE) deu hoje luz verde à nomeação de Christine Lagarde para a presidência do Banco Central Europeu (BCE) com 394 votos a favor, 206 contra e 49 abstenções.

O plenário seguiu, assim, o parecer da comissão parlamentar dos Assuntos Económicos e Monetários, que ouviu a candidata a presidente do BCE no dia 4 de setembro.

A votação em plenário, que se realizou por escrutínio secreto, foi precedida de um debate.

O presidente do BCE é nomeado pelo Conselho Europeu (chefes de Estado e de Governo da UE), deliberando por maioria qualificada, por recomendação do Conselho da UE e após consulta ao Parlamento Europeu e ao Conselho do BCE, de acordo com o artigo 283.º do Tratado sobre o Funcionamento da UE. A duração do respetivo mandato é de oito anos, não renováveis.

Etapas da nomeação

Em 2 de julho, o Conselho Europeu considerou que Christine Lagarde era a candidata adequada para o cargo de presidente do BCE, no âmbito de um acordo sobre as designações para os mais altos cargos da UE.

Em 9 de julho, o Conselho da UE adotou uma recomendação sobre esta nomeação, formalizando o acordo alcançado pelos líderes europeus. Estes deverão tomar uma decisão formal sobre a nomeação de Lagarde na cimeira europeia de 17 e 18 de outubro, depois de terem consultado o Parlamento Europeu (relatório hoje aprovado em plenário) e o Conselho do BCE.

O mandato do atual presidente do BCE, Mario Draghi, termina em 31 de outubro, devendo a nova presidente tomar posse no dia 1 de novembro.

Vídeo das intervenções de eurodeputados portugueses no debate

José Gusmão (CEUE/EVN)

Pedro Silva Pereira (S&D)

Pedro Marques (S&D)

João Ferreira (CEUE/EVN)