Partilhar esta página: 

  • Cidadãos europeus consideram que as alterações climáticas devem ser a principal prioridade do PE, revela um inquérito Eurobarómetro  
  • Seis em cada dez europeus pensam que os protestos liderados pelos jovens têm um impacto direto nas políticas 
  • Presidente do PE, David Sassoli, participa hoje na Conferência da ONU sobre o Clima (COP25) 
Eurobarómetro 2019 sobre alterações climáticas  

O mais recente Eurobarómetro revela que o combate às alterações climáticas deve ser a principal prioridade do PE, sublinhando a influência dos protestos climáticos liderados pelos jovens.

“Combater as alterações climáticas e preservar o meio ambiente, os oceanos e a biodiversidade” deve ser a primeira prioridade do Parlamento Europeu (PE), dizem os cidadãos da UE num novo inquérito Eurobarómetro do PE, realizado em outubro de 2019. As alterações climáticas já eram apontadas como uma das principais razões para votar nas eleições europeias, especialmente pelos jovens. Agora, pela primeira vez, os cidadãos europeus colocam as alterações climáticas no topo de uma lista de prioridades do Eurobarómetro.

No total, 32% dos europeus apontam a luta contra as alterações climáticas e a preservação do meio ambiente como a questão mais importante a colocar na agenda dos eurodeputados. Este é o tópico mais mencionado em onze Estados-Membros, especialmente na Suécia (62%), Dinamarca (50%) e Holanda (46%).

Em Portugal, combater a exclusão social e a pobreza (44%) e melhorar os direitos do consumidor, a qualidade e o acesso a serviços de saúde para todos os cidadãos (44%) são as primeiras prioridades, surgindo o combate às alterações climáticas (32%) em quarto lugar, após o combate ao desemprego jovem (37%).

O Eurobarómetro também perguntou aos inquiridos qual é a preocupação ambiental mais urgente. A maioria absoluta dos europeus (52%) considera que são as alterações climáticas, seguindo-se a poluição do ar (35%), a poluição marinha (31%), a desflorestação e a crescente quantidade de resíduos (ambas 28%).

O presidente do PE, David Sassoli, que se encontra em Madrid esta segunda-feira para participar na cerimónia de abertura da Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP25), declarou: “Este inquérito mostra claramente que os europeus querem uma ação da UE no combate às alterações climáticas. Na semana passada, em Estrasburgo, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução que declara uma emergência climática e ambiental na Europa e no mundo. Estamos a ouvir os nossos cidadãos e enfatizamos a necessidade de ir além das palavras e partirmos para a ação”.

Protestos liderados por jovens fazem a diferença

Os protestos liderados pelos jovens mobilizaram milhões de pessoas na UE e em todo o mundo ao longo deste ano.

Este novo inquérito Eurobarómetro mostra que cerca de seis em cada dez cidadãos europeus estão confiantes ou convencidos de que os protestos liderados por estes jovens têm um impacto direto nas políticas a nível nacional e europeu.

Os irlandeses (74%), os suecos (71%) e os cipriotas (70%) são os que estão mais convencidos de que os protestos levarão à tomada de medidas políticas na UE, em comparação com 42% dos checos e 47% dos cidadãos do Reino Unido.


Contexto

Desde 1973 que o Eurobarómetro mede as perceções e as expectativas dos cidadãos europeus em relação à UE. Os dados para o Eurobarómetro foram recolhidos pela Kantar e o trabalho de campo decorreu de 8 a 22 de outubro de 2019 em todos os 28 Estados-Membros da UE. Foram realizadas amostras a 27.607 inquiridos com mais de 15 anos através de entrevistas pessoais. Os dados e o relatório completo serão publicados no dia 10 de dezembro de 2019.