Partilhar esta página: 

A UE deve ajudar a Grécia a gerir a pressão migratória na fronteira com a Turquia, mas respeitando o direito de asilo dos que precisam de proteção internacional.

Num debate realizado esta tarde no Parlamento Europeu (PE) sobre a situação migratória na fronteira greco-turca, a maioria dos oradores criticou o Presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, por utilizar o sofrimento das pessoas para fins políticos. Muitos eurodeputados sublinharam que a crise dos refugiados de 2015 não deve ser repetida e insistiram que é necessário atualizar as regras europeias em matéria de asilo.

Alguns grupos políticos pediram a revisão da declaração acordada entre a UE e a Turquia em 2016, que visava conter o fluxo migratório em troca da ajuda financeira da UE. Vários eurodeputados manifestaram a sua profunda preocupação com a deterioração da situação humanitária tanto na fronteira com a Turquia como nas ilhas gregas, onde se encontram milhares de requerentes de asilo, muitos deles menores não acompanhados.


A necessidade de respeitar a Convenção de Genebra e garantir a proteção dos refugiados, as alegações de violência policial contra pessoas que tentam atravessar a fronteira e o risco de que os jihadistas possam estar a entrar no território da UE foram outras questões abordadas no debate.


O vídeo do debate está disponível aqui


Vídeo das intervenções de eurodeputados portugueses no debate


Paulo Rangel (PPE)