skip to content
 
 
Imprensa
Imprensa
 

Debate entre eurodeputados portugueses "As respostas da UE às alterações climáticas"

O debate online terá lugar na sexta-feira, dia 9 de outubro, às 10:00 e será moderado por Inês André Figueiredo, jornalista da TSF.

Na semana em que o Parlamento Europeu aprovou o seu mandato de negociação sobre a Lei do Clima, defendendo uma redução de 60% das emissões até 2030, eurodeputados portugueses vão debater "As respostas da UE às alterações climáticas".

Participam os eurodeputados:

- Lídia Pereira (PSD, PPE)

- Marisa Matias (BE, EUE/ENV)

- Nuno Melo (CDS-PP, PPE)

O debate é moderado por Inês André Figueiredo, jornalista da TSF.

Quando: Amanhã, sexta-feira, 9 de outubro, 10h00 (hora em Lisboa)

Onde: O evento acontece no estúdio virtual do Parlamento Europeu em Portugal e pode ser seguido aqui.

Os jornalistas podem colocar questões via webex, registando-se aqui. É também possível colocar questões por escrito, no "chat", na página do evento.

As imagens do debate estão disponíveis com qualidade de emissão para os jornalistas interessados.

Contacto para jornalistas: raquel.patricio@ep.europa.eu e vera.ramalhete@ep.europa.eu.
Mais informações sobre os nossos eventos: EPlisboa@ep.europa.eu  

 


Lei do Clima: eurodeputados querem redução de 60% das emissões até 2030


A assembleia europeia aprovou hoje o seu mandato de negociação sobre a Lei do Clima, que servirá de base para as negociações com o Conselho da UE (Estados-Membros).

A proposta visa consagrar na legislação europeia o compromisso político assumido pelos líderes europeus de tornar a UE neutra em termos de clima até 2050.

 

A atual meta da UE para a redução das emissões até 2030 é de 40% em relação aos níveis de 1990. Na sua proposta alterada da Lei Europeia do Clima, a Comissão propôs aumentar este objetivo para, “pelo menos, 55%”. Hoje, o PE elevou a fasquia, apelando a uma redução de 60% até 2030.

 

De acordo com um Eurobarómetro de abril de 2019, 93% dos cidadãos europeus consideram as alterações climáticas um problema grave e uma maioria significativa quer uma intensificação das medidas nesta matéria.