Nazaj na portal Europarl

Choisissez la langue de votre document :

  • bg - български
  • es - español
  • cs - čeština
  • da - dansk
  • de - Deutsch
  • et - eesti keel
  • el - ελληνικά
  • en - English
  • fr - français
  • ga - Gaeilge
  • hr - hrvatski
  • it - italiano
  • lv - latviešu valoda
  • lt - lietuvių kalba
  • hu - magyar
  • mt - Malti
  • nl - Nederlands
  • pl - polski
  • pt - português (izbrano)
  • ro - română
  • sk - slovenčina
  • sl - slovenščina
  • fi - suomi
  • sv - svenska
 Kazalo 
 Celotno besedilo 
Razprave
Sreda, 26. oktober 2005 - Strasbourg Pregledana izdaja

Čas za vprašanja (vprašanja Svetu)
MPphoto
 
 

  Presidente.

Pergunta nº 5 de Sarah Ludford (H-0767/05 )

Assunto: Utilização do quadro comunitário para fins de aplicação da lei

Será que o acórdão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias sobre a pertinência do direito comunitário para impor sanções penais (processo C-176/03, de 13 de Setembro de 2005) incentiva o Conselho a utilizar o quadro comunitário em vez do quadro intergovernamental, bastante insatisfatório, para medidas de aplicação da lei? Estará a Presidência britânica a analisar, de forma construtiva, a possibilidade de utilizar o artigo 42º do TUE para este efeito? Como vai ela evitar que fóruns como o G5 e o G8 e novos desenvolvimentos a nível dos acordos de Schengen prejudiquem ainda mais uma cooperação europeia transparente, democrática e global? Tenciona, pelo menos, manter o Parlamento Europeu e os parlamentos nacionais ao corrente da evolução das negociações intergovernamentais e de planos futuros?

 
Zadnja posodobitev: 15. november 2005Pravno obvestilo