Index 
 Anterior 
 Seguinte 
 Texto integral 
Processo : 2007/2682(RSP)
Ciclo de vida em sessão
Ciclos relativos aos documentos :

Textos apresentados :

RC-B6-0525/2007

Debates :

PV 13/12/2007 - 11.3
CRE 13/12/2007 - 11.3

Votação :

PV 13/12/2007 - 12.3
CRE 13/12/2007 - 12.3

Textos aprovados :

P6_TA(2007)0632

Debates
Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2007 - Estrasburgo Edição JO

12.3. Justiça para as "mulheres de conforto" (votação)
PV
  

- Proposta de resolução comum (RC-B6-0525/2007)

- Antes da votação:

 
  
MPphoto
 
 

  Charles Tannock (PPE-DE), autor. - (EN) Senhora Presidente, houve uma alteração na lista de votações do PPE-DE. Recomendo aos colegas que a alteração seja de positivo para negativo. No texto original, no considerando B, há um pedido de votação sobre o texto original que foi apresentado pelo Grupo UEN, e recomendo aos colegas que votemos agora a favor da supressão desse parágrafo, isto é, recomendo que votemos contra essa proposta. Queremos alterar para "contra".

 
  
MPphoto
 
 

  Laima Liucija Andrikienė (PPE-DE). - (EN) Senhora Presidente, gostaria de propor uma alteração oral, de modo que o título da proposta de resolução passe a ter a seguinte redacção: "Justiça para as «mulheres de conforto» (escravas sexuais na Ásia antes de, e durante a Segunda Guerra Mundial)".

 
  
MPphoto
 
 

  Marios Matsakis (ALDE). - (EN) Senhora Presidente, houve nitidamente uma modificação à alteração oral, e o autor é agora a favor dessa alteração oral.

 
  
  

(A alteração oral é aceite)

- Antes da votação da alteração 9:

 
  
MPphoto
 
 

  Sophia in 't Veld, autora. - (EN) Senhora Presidente, propomos que se introduzam as palavras "como é dever moral de todos os países" a seguir à primeira parte da frase, de modo que esta passe a ter a seguinte redacção: "Exorta o povo e o Governo do Japão a empreenderem novas iniciativas para o reconhecimento da integralidade da história da sua nação, como é dever moral de todos os países".

 
  
  

(A alteração oral é aceite)

 
Última actualização: 11 de Novembro de 2008Advertência jurídica