Index 
 Anterior 
 Seguinte 
 Texto integral 
Processo : 2008/2645(RSP)
Ciclo de vida em sessão
Ciclo relativo ao documento : B6-0579/2008

Textos apresentados :

B6-0579/2008

Debates :

PV 19/11/2008 - 20
CRE 19/11/2008 - 20

Votação :

PV 20/11/2008 - 6.15
Declarações de voto
Declarações de voto

Textos aprovados :

P6_TA(2008)0567

Textos aprovados
WORD 37k
Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008 - Estrasburgo Edição definitiva
Situação da apicultura
P6_TA(2008)0567B6-0579/2008

Resolução do Parlamento Europeu, de 20 de Novembro de 2008, sobre a situação da apicultura

O Parlamento Europeu ,

–  Tendo em conta o n.º 5 do artigo 108.º do seu Regimento,

A.  Considerando que o sector da apicultura em todo o mundo em geral, e na Europa, em particular, enfrenta graves dificuldades,

B.  Considerando que a apicultura tem efeitos benéficos para todo o ecossistema e é essencial, em especial, para o ecossistema agrícola,

C.  Considerando a necessidade de preservar a biodiversidade, para a qual a apicultura contribui de forma substancial mediante a actividade de polinização cruzada,

D.  Considerando que a apicultura é uma actividade praticada há milénios na Europa e que faz parte integrante da sua herança cultural agrícola,

E.  Recordando os benefícios nutricionais e medicinais dos produtos da apicultura,

F.  Considerando a variabilidade e a alta qualidade do mel e de outros produtos apícolas, como a geleia real, o própole, o veneno de abelha e a cera, produzidos pelo sector europeu da apicultura, graças ao seu saber e à diversidade do seu clima,

G.  Considerando a concorrência desleal dos produtos importados para o mercado comunitário a partir de países terceiros,

H.  Considerando que o mel pode ser importado de várias regiões do mundo, mas que apenas as abelhas, presentes em número suficiente, permitem garantir a polinização,

I.  Recordando a grave ameaça de redução do efectivo apícola na sequência da forte diminuição dos recursos em pólen e em néctar,

J.  Recordando a queda dramática do número de colónias de abelhas existentes em todo o mundo,

K.  Recordando que a presença contínua nas colmeias do parasita Varroa spp ., o disfuncionamento fatal das colónias e a expansão do Nosema ceranae estão, entre outras causas, na origem da crise sanitária da apicultura,

L.  Recordando que 76% da produção de alimentos destinados ao consumo humano dependem da actividade apícola,

M.  Recordando que 84% das espécies vegetais cultivadas na Europa dependem da polinização,

N.  Recordando que as normas e as boas práticas são frequentemente ignoradas aquando da aplicação de biocidas,

O.  Recordando que ainda não existem métodos para erradicar determinadas doenças das abelhas, que têm por consequência uma redução da sua resistência e a perda de colmeias,

1.  Considera que é imprescindível reagir quanto antes à crise sanitária no domínio da apicultura de forma adequada e com instrumentos eficazes;

2.  Considera necessário solucionar o problema da concorrência desleal dos produtos da apicultura provenientes de países terceiros, resultante, nomeadamente, de custos de produção inferiores, em especial no que se refere aos preços do açúcar e da mão-de-obra;

3.  Convida a Comissão a promover imediatamente o aumento da investigação em matéria de parasitas, doenças, bem como outras causas possíveis tais como a erosão da diversidade genética e o cultivo de culturas geneticamente modificadas, que dizimam as abelhas, disponibilizando meios orçamentais suplementares para essa investigação;

4.  Considera que é necessário tornar obrigatória a menção no rótulo do país de origem do mel de abelhas;

5.  Solicita à Comissão que tome, no âmbito do balanço de saúde da PAC, medidas para encorajar a criação de zonas de compensação ecológica (como os pousios apícolas), em particular nas grandes regiões de culturas arvenses; solicita que estas zonas se situem nas áreas mais difíceis de cultivar, nas quais plantas como a facélia, a borragem, a mostarda dos campos ou o trevo branco poderiam ser desenvolvidas e constituir importantes fontes de néctar nas zonas de alimentação das abelhas;

6.  Exorta o Conselho e a Comissão a terem em devida conta a saúde das abelhas, as possibilidades de comercializar produtos apícolas e o impacto económico no sector da apicultura em todos os debates e nas futuras medidas legislativas referentes ao cultivo de culturas geneticamente modificadas na União Europeia;

7.  Solicita à Comissão que promova as medidas necessárias para limitar os riscos de uma polinização insuficiente, quer para os apicultores quer para os agricultores, cuja produção poderia aumentar significativamente;

8.  Solicita à Comissão que assegure o controlo e a vigilância da qualidade das águas de superfície, dado que as abelhas reagem de forma muito sensível a qualquer deterioração do seu meio ambiente;

9.  Solicita à Comissão que efectue trabalhos de investigação sobre a relação entre a mortalidade das abelhas e a utilização de pesticidas como tiametoxame, imidaclopride, clotianidina e fipronil, a fim de tomar as medidas adequadas no que se refere à autorização desses produtos;

10.  Solicita à Comissão que coordene todas as informações relativas a esta situação de que os Estados-Membros actualmente dispõem; espera que a Comissão colabore com os organismos acreditados para uma troca de informações científicas sobre os efeitos dos pesticidas nas abelhas;

11.  Considera que é necessário tornar obrigatória a análise do mel importado para detectar a eventual presença de bactérias de loque americana;

12.  Insta a Comissão a propor um mecanismo de ajuda financeira para as explorações em dificuldades devido à mortalidade do seu efectivo;

13.  Convida a Comissão a integrar a investigação e a luta contra as doenças das abelhas na política veterinária;

14.  Convida a Comissão a instar todos os Estados-Membros a apoiarem de imediato o sector da apicultura;

15.  Encarrega o seu Presidente de transmitir a presente resolução ao Conselho e à Comissão.

Última actualização: 31 de Agosto de 2009Advertência jurídica