Please fill this field
Sandra PEREIRA Sandra PEREIRA
Sandra PEREIRA

Grupo da Esquerda no Parlamento Europeu - GUE/NGL

Membro

Portugal - Partido Comunista Português (Portugal)

Data de nascimento : ,

Página inicial Sandra PEREIRA

Vice-Presidente

EMPL
Comissão do Emprego e dos Assuntos Sociais
DLAT
Delegação à Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana

Membro

FEMM
Comissão dos Direitos das Mulheres e da Igualdade dos Géneros

Membro suplente

ITRE
Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia
AIDA
Comissão Especial sobre Inteligência Artificial na Era Digital
DMER
Delegação para as relações com o Mercosul

Últimas atividades

Obras de qualificação do IP3 e do IC6

30-04-2021 E-002377/2021 Comissão
Perguntas escritas

Direitos e obrigações dos passageiros dos serviços ferroviários (A9-0045/2021 - Bogusław Liberadzki)

29-04-2021
Declarações de voto escritas

A ferrovia é, no contexto dos instrumentos de mobilidade disponíveis, o que mais diretamente responde à necessidade de conjugar coesão territorial e social, desenvolvimento económico e proteção ambiental.
Como temos referido, há um direito fundamental que devia assistir a todos os passageiros reais ou potenciais da ferrovia: o de poder usufruir de um serviço público de qualidade, moderno, eficiente, funcional, intermodal, com segurança e a preços acessíveis ou mesmo gratuitos, que seja atrativo para a generalidade dos utilizadores e inserido numa lógica estratégica e soberana de desenvolvimento, sustentabilidade e convergência.
A importância da ferrovia deveria justificar investimento público significativo, requalificando e alargando a rede, garantindo a capacidade produtiva em cada país, garantindo toda a gama de direitos aos passageiros. No entanto, como expressão da política liberalizante da UE, décadas de desinvestimento nos equipamentos e infraestruturas, desmantelamento de empresas, de liberalização e privatização dos transportes ferroviários têm destruído o sector em diversos países, logo, afetando os direitos dos passageiros.
A revisão deste regulamento não deixa de refletir a visão da UE e dos grandes interesses empresariais ligados à ferrovia. Os interesses das grandes potencias e das suas multinacionais. Contrários à defesa de um serviço público de transportes, contrário à coesão e à soberania de Estados-membros.

Fundo Europeu de Defesa (A9-0120/2021 - Zdzisław Krasnodębski)

29-04-2021
Declarações de voto escritas

Com a aprovação do Fundo Europeu de Defesa, a União Europeia prepara-se para despejar cerca de 8 mil milhões de euros no complexo militar-industrial das grandes potências europeias, durante os próximos sete anos.
Recursos públicos, que faltam no combate à pobreza, na promoção da coesão económica, social e territorial, no investimento em serviços públicos, como a saúde, e em tantas outras áreas, serão dirigidos, exclusivamente para a promoção da guerra e da indústria de armamento, alimentando o ímpeto militarista da UE e estreitando as suas relações com a NATO.
Com esta aprovação, a União Europeia expõe claramente que quem promove a guerra não quer nem pode defender a paz.
A criação deste fundo merece o nosso repúdio.

Sandra PEREIRA
Sandra PEREIRA

No NEWSHUB do PE

Solidariedade com o Povo da Palestina! Fim à agressão, Fim à ocupação! #solidariedade #palestina #palestinalivre #pcp https://t.co/nP9WGr0t4S 

https://t.co/RAsKLcBMbn 

https://t.co/8hLiP2D5fx 

Contacto

Bruxelles

Strasbourg